Secretário de Educação da Cidade de Buenos Aires pausa greves dando seu número de celular aos professores

Esta matéria foi publicada pela BBC UK, com autoria do correspondente Sean Coughlan. Como consideramos o teor de importância para o cenário político atual brasileiro, traduzimos o artigo para proporcionar que mais interessados em educação (superior ou de base), pudessem ter a oportunidade de lê-lo. Apesar de não acreditarmos que a matéria corresponda a uma realidade maravilhosa, você não acha que esta seria uma ótima opção para as cidades brasileiras também?

Secretário Esteban Bullrich no Forum Global Education and Skills, em Dubai (ao meio)

Secretário Esteban Bullrich no Forum Global Education and Skills, em Dubai (terceiro esq. para dir.) conta sua experiência com professores de Buenos Aires

Um secretário de educação da Argentina conseguiu parar uma onda de greves de professores fornecendo a cada professor o seu número de celular e convidando-os a telefoná-lo quando precisassem.

Esteban Bullrich, responsável pelas escolas de Buenos Aires, havia herdado um sistema afetado por diversas paralizações de professores. Chegando à Secretaria como o terceiro secretário de educação em 12 dias, ele resolveu publicar o número de seu telefone celular  como uma maneira de abrir um diálogo direto com a categoria.Como resultado, o número de greves caiu de 14 para 0, em quatro anos.

Bullrich declarou que decidiu fornecer seu número aos professores como uma forma de quebrar a cultura de desconfiança e confronto entre políticos e representantes da categoria.

Retorno

As greves haviam se tornado um problema crônico em Buenos Aires, sendo que os secretários de educação anteriores haviam durado pouco tempo na secretaria. Portanto, quando Bullrich assumiu a cadeira, teve que negociar acordos com 17 diferentes sindicatos de professores da capital argentina.

Em uma tentativa de quebrar este impasse, decidiu dar aos funcionários de 1200 escolas da região seu número privativo de celular, estimulando-os a telefoná-lo quando tivessem um problema.

“Se vocês tiverem qualquer dúvida, comentários ou reclamações, me telefonem”, falou aos professores.

O secretário de eduucação de Buenos Aires publica com frequência em seu Twitter e é visto como "moderno". Aqui em uma selfie com doutorandos e pesquisadores de tecnologia (@estebanbullrich)

O secretário de eduucação de Buenos Aires publica com frequência em seu Twitter e é visto como “moderno”. Aqui em uma selfie com doutorandos e pesquisadores de tecnologia (@estebanbullrich)

Em uma palestra no começo desta semana no Forum Global Education and Skills, em Dubai, Bullrich contou que, no começo, teve que lidar com uma enorme quantidade de chamadas, envolvendo questões como pagamentos, problemas com prédios escolares e desacordos em relação a subsídios.

Mas disse que os professores ficaram surpresos e muito menos irritados quando descobriram que o secretário de educação estava atendendo-os pessoalmente ou telefonando-os de volta.

Um professor, que o telefonou às 2h da manhã ficou perplexo em receber uma chamada de volta do secretário às 2h15 para conversar sobre seu problema de atraso de pagamento.

“As pessoas não acreditavam que eu realmente ia responder. Este senhor me ligou às 2h e me xingou no telefone – ‘Você está me devendo’. Liguei de volta às 2h15 e disse ‘Olá, é o secretário de educação’. Primeiro, houve um silêncio na linha, mas depois conversamos e solucionamos o problema”.

Ouvindo as reclamações

Esteban Bullrich pertence ao partido de centro-direita e, portanto, no começo, despertou muitas dúvidas nos sindicatos de professores. “O relacionamento melhorou bastante depois que as pessoas se deram conta de que alguém estava escutando-as”, afirma.

“As pessoas pensam que isto é uma ideia louca, mas os benefícios são enormes. Professores são uma comunidade bastante fechada e a comunidação entre eles voa. Agora, se eles têm qualquer dúvida, podem me telefonar”.

Esteban e a a ativista Malala, mais jovem ganhadora do prêmio nobel: nem tudo é perfeição no governo de Esteban - é só ver as críticas em seu Facebook e Twitter

Esteban e a a ativista Malala, mais jovem ganhadora do prêmio nobel: nem tudo é perfeição no governo de Esteban – é só ver as críticas em seu Facebook e Twitter

Os telefonemas também tornaram-se uma maneira efetiva de “medir a temperatura” e identificar problemas, permitindo que seu departamento possa interferir antes que as disputas surjam.

Tal ação tem ajudado ainda nos planos de modernizar e melhorar a qualidade das escolas estaduais.

O número de telefonemas atualmente foi reduzido a cerca de 80 a 100 telefonemas por dia, afirma, embora ele também tenha divulgado seu telefone para os pais dos alunos.

Bullrich disse que a qualidade de educação é afetada pela baixa estima dos professores que, segundo ele, devem ser “motivadores motivados”.

“Os professores na Argentina se sentem frustrados. Eles acham que os políticos abandonaram a educação, que eles não se preocupam com o que tem acontecido nas escolas”.

Se o artigo representa a realidade dos portenhos, não sabemos ao certo (veja as críticas na conta do Twitter e Facebook de Esteban – @estebanbullrich e https://www.facebook.com/EstebanBullrich). Mas que esta seria uma boa ideia para o Brasil colocar em prática, seria. Vocês não acham?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s